Estou ciente que os dados fornecidos são exclusivamente para elaboração de proposta de serviços contábeis. Após a finalização, as informações serão mantidas de forma segura em nossa base de dados para fins de histórico de atividades realizadas, atendendo as normas conforme Lei nº. 13.709 – Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD).

Tomada de Decisões | A técnica de tomar decisões para resolver problemas e aproveitar oportunidades

Você já parou para pensar no jeito em que toma suas decisões no dia-a-dia, tanto no campo pessoal como no profissional?

Reflita um pouco...

Pense nas decisões dos últimos dias, das últimas semanas e compare seus reflexos, resultados e consequências no hoje.

Procure fazer isto sem criar amarras ou elementos que levem ao arrependimento ou sentimento de culpa pela decisão tomada, principalmente se os resultados estiverem bem distantes da perspectiva estabelecida. Entenda que tudo é aprendizado e faz parte de um processo de crescimento profissional e que o olhar para trás deve servir para tanto, ao invés de formas de penalização.

Nesta nossa discussão, portanto, o foco estará concentrado num viés das questões profissionais, ou seja, daquelas com as quais há conexão direta com os negócios de sua empresa ou, então, com as atividades que você realiza na própria empresa, principalmente se você ocupar e exercer atividades de liderança, com todas as responsabilidades que ela traz em si.

É preciso dar-se conta de que toda tomada de decisão é sustentada e tem disponível um conjunto de metodologias, técnicas, práticas, orientações e conselhos. Deve-se tanto conhecê-las como, principalmente, de modo primordial, conhecer-se a si mesmo enquanto profissional, nas vertentes racional e emocional.

Neste contexto, certamente você já fez associação ou ouviu o aforismo grego, escrito na entrada do tempo de Delfos: "Conhece-te a ti mesmo", que serve como elemento de referência para compreensão da importância do autoconhecimento.

No tocante à primeira sugestão, de conhecer ferramental teórico-prático para compreender o processo decisório, recomendamos pesquisar e selecionar ao menos um ou dois destes componentes dentre todo o conjunto mencionado e analisar com quais mais se identifica.

Para isto, faça o básico e simples: acesse o Google e efetue uma busca rápida com estas palavras-chave: "como tomar decisão". Caso deseje, poderá também efetuar a mesma busca no Youtube, se o seu interesse for por vídeos ao invés de textos. Você encontrará excelentes materiais, com conteúdo qualificado.

Ao executar esta tarefa, você encontrará orientações, das mais diversas, para tomar decisões de todos os tipos, compreendendo aquelas que são difíceis, certas, melhores e importantes, entre outras tantas categorizações existentes.

Reserve um tempo para avaliar o resultado encontrado e invista a continuidade de acesso àqueles resultados que achar mais interessantes.

No momento de selecionar os escolhidos, igualmente tomará decisões que terão efeitos práticos adiante. O exercício é proposital e tem seus efeitos pedagógicos. Comece a aprender, desde já, que toda decisão tem uma consequência natural. Esta, no caso, tem relação com o repertório que adquirirá.

Cumprindo com esta tarefa, você terá condições para selecionar e esquematizar um modelo próprio de gestão com vistas a conduzir seu processo de tomada de decisão, dentro de parâmetros e referencias que julga adequadas.

Pode ocorrer, portanto, de você já ter, inclusive, um modelo definido, ou seja, uma prática comum adotada para tomar suas decisões. Se este for o seu caso, mesmo assim, do seu modo, continue com a atividade, tendo em vista que tal possibilitará até mesmo rever alguns pontos de seu modelo para promover ajustes ou melhorar a performance de suas entregas. Afinal, tudo sempre é possível de melhorias, mesmo que esteja funcionando bem e dando resultados.

É importante compreender também um jargão de que não existem decisões perfeitas, mas, sim, decisões satisfatórias, considerando todas as circunstâncias e variáveis às quais tanto de quem a toma como a situação afim estão submetidos, envolvendo indisponibilidade de tempo e informações necessárias para tanto, para ficarmos apenas em dois exemplos.

Habitualmente, no ambiente das empresas e no campo dos negócios, as decisões sempre são requeridas para duas situações: resolver problemas ou aproveitar oportunidades.

Por conta disto, nunca é demais reforçar a compreensão sobre o fato em si que está demandando uma decisão e, posteriormente, uma ação, requerer uma compreensão clara, objetiva, direta e pragmática da problemática (problema ou oportunidade) que se tem de fato.

Quando o assunto envolve a adequada problematização de uma situação e planos de ação para trabalhá-la a partir da construção de uma solução, há, também, diversos ferramentais teóricos para tanto. Uma prática para identificá-los é a mesma de pesquisa básica com o Google ou Youtube, por exemplo.

Assim, uma destas ferramentas que apresentamos é o modelo 5W2H.

Muito embora ele seja bem difundido, é oportuno revisitá-lo resumidamente considerando suas sete etapas, que envolvem questões feitas no contexto do W (5) e do H (2), conforme segue:

1. What: o que será feito? As respostas deverão sinalizar as etapas do trabalho a ser realizado, tendo como referência o detalhamento da problemática e possíveis soluções.
2. Why: por que será feito? As respostas deverão sinalizar a justificativa, ou seja, as razões dadas para tanto;
3. Where: onde será feito? As respostas deverão sinalizar o local, o ponto, enfim, onde as coisas ocorrerão;
4. When: quando será feito? As respostas deverão sinalizar o tempo. Afinal, datas, prazos, cronogramas, por exemplo, são fundamentais para nortear e organização a execução das ações e processos.
5. Who: quem fará? As respostas deverão sinalizar a responsabilidade, pois a escolha das pessoas certas para a atividade é um excelente caminho;
6. How: como será feito? As respostas deverão sinalizar o método, ou seja, um detalhamento minucioso.
7. How much: quanto custará fazer? As respostas deverão sinalizar o custo, o investimento demandado, permitindo avaliar sua viabilidade econômico-financeira, por exemplo.

Para encerrar esta discussão, um reforço da ideia central desta matéria: tome as decisões que precisar tomar para enfrentar e resolver os problemas. Os quatro pensamentos abaixo colaborarão no empoderamento necessário para trilhar com sucesso essa jornada:

“Toma conselhos com o vinho, mas toma decisões com a água”, por Benjamin Franklin
“Nada é mais difícil e, portanto, tão precioso, do que ser capaz de decidir”, por Napoleão Bonaparte;
“O futuro é construído pelas nossas decisões diárias, inconstantes e mutáveis, e cada evento influencia todos os outros”, por Alvin Tofller;
“Toda decisão acertada é proveniente de experiência. E toda experiência é proveniente de uma decisão não acertada”, por Albert Einstein.
Pense e pratique isto em suas decisões!

Últimas Publicações

Últimas Notícias

Desenvolvido por: TBrWeb